BR 116, n.º 1530 Atuba, Colombo, PR
41 3675.6469 / 9700.6336
Outros estados 0800.704.6469
atendimento@lonasalvorada.com.br
Vendas: vendas@lonasalvorada.com.br

Evite o descarte prematuro

A lona pode durar muitos anos se o caminhoneiro colocar em prática alguns cuidados básicos, que começam antes da primeira utilização do produto.


  • Logo após adquirir a nova lona, antes de sua utilização, é aconselhável molhá-la. Dessa forma, as fibras que compõem essa cobertura sofrerão ajustes em função do “encolhimento”.
  • Para prolongar a vida útil do produto, cuidado com objetos pontiagudos e cortantes. Não utilize cordas sobre a cobertura. Prefira somente as argolas/ilhóses para esticar a lona. Não arraste-a sobre superfície áspera ou cortante e mantenha-a sempre limpa.
  • Na hora de lavá-la, utilize somente água. O uso de qualquer outro tipo de sabão/detergente ou outro produto pode causar o desenvolvimento de fungos ou retirar a camada de repelência. Para não alterar a sua superfície, esfregue com uma espuma, escova de cerdas macias ou pano macio. Outra dica importante é nunca usar produtos químicos, não lavar com gasolina, óleo diesel ou querosene. Assim, além de aumentar a vida útil da lona, ela estará sempre bonita.
  • Preferivelmente, a lona deve ser dobrada e guardada seca. Caso não seja possível, recomendamos que seja empilhada sobre uma plataforma (palete de madeira), pois o contato direto sobre a carroceria/caçamba pode diminuir a sua vida útil.
  • Recomenda-se depois de lavada e bem seca, dobrar as duas laterais para o centro, no sentido do comprimento, e assim sucessivamente, até se tornar uma pilha de dobras sanfonadas de 80 cm a um metro. Depois, é só enrolá-la.
  • Os principais fabricantes de lonas também estão atentos com o seu processo industrial. A Locomotiva, por exemplo, adota o processo que vai desde a separação de todos os resíduos gerados nas fases produtivas às estações de tratamentos de água e de esgotos. Dessa forma, a água é devolvida à natureza com qualidade superior à aquela que entrou na fábrica.

Fonte: Revista Caminhoneiro

Comentários estão fechados.