BR 116, n.º 1530 Atuba, Colombo, PR
41 3675.6469 / 9700.6336
Outros estados 0800.704.6469
atendimento@lonasalvorada.com.br
Vendas: vendas@lonasalvorada.com.br

Sombra na medida certa

De materiais simples, como lonas, aos sofisticados alumínio e policarbonato. Toldos e coberturas podem se adaptar a qualquer função e ambiente

O toldo do modelo Texas, da Zetaflex, utiliza armação e cobertura de alumínio. |

Quem mora em Curitiba, ou em cidades com o clima semelhante, já está acostumado a uma realidade que se acentua no verão: períodos de calor intenso que se intercalam com chuvas fortes e inesperadas. Em locais com esse perfil, a importância de proteger portas, janelas e áreas de garagem contra a ação dos ventos fortes, da umidade e de raios ultravioleta – prejudiciais não só aos moradores, mas também a latarias de automóveis e acabamentos das fachadas – é ainda mais evidente. Para isso, a solução pode ser a instalação de toldos e coberturas.

Na prática, a diferença entre toldos e coberturas é a área de proteção. Enquanto toldos protegem uma área pequena, como portas, as coberturas fazem a proteção de grandes espaços, como uma garagem. Em ambos os casos, o morador conta com um amplo leque de materiais disponíveis no mercado, com aplicações específicas. Antes da instalação, porém, deve-se definir qual é o material ideal para sua necessidade.

Para essa tarefa, o indicado é contratar um arquiteto ou um técnico em instalação (nas próprias lojas especializadas nesse tipo de estrutura). “Com toldos e coberturas não existe um padrão, um material que possa ser aplicado a qualquer projeto. Tudo depende da avaliação de cada caso: do tamanho da área a ser coberta, da característica climática da região, da função que a estrutura irá exercer.”, diz Paolo Cortesini.

Entre as opções, o interessado encontrará de materiais simples, como as lonas sintéticas, aos mais sofisticados, como alumínio e policarbonato. Cada um indicado para um caso. “As lonas são mais baratas, mas em compensação não são tão resistententes. Portanto, se a intenção é proteção contra chuvas fortes e ventos, é melhor instalar policarbonato ou alumínio. Caso a estrutura sirva apenas para barrar o sol, compensa colocar a lona”, aconselha a arquiteta Lúcia Guerra.

Com o material de cobertura definido, a escolha da estrutura de suporte dos toldos e coberturas é outro fator que influencia em sua funcionalidade. As opções também são diversas. Dos materiais resistentes e consequentemente mais caros, como o alumínio, aos mais frágeis – e de preço mais acessível – como o latão. A diferença é explicada pelo instalador Fábio Silva. “Em regiões sujeitas a chuvas e ventos fortes, o morador deve investir em materiais de maior resistência, ou a estrutura corre o risco de entortar e até desmontar em uma tempestade”, alerta.

Custos

De R$ 500 a R$ 3 mil. A diferença de preço para uma mesma área coberta, porém com materiais diferentes, pode soar absurda. “Para uma área de 20 metros quadrados, por exemplo, existem diversos orçamentos que vão variar de acordo com a base de sustentação e com o material de cobertura. Já fizemos um orçamento de um toldo que, com lona e estrutura de latão sairia R$ 500, mas com policarbonato e alumínio na base custava R$ 3 mil”, comenta Fábio Silva.

Ele diz que é possível instalar toldos mais simples, de lona PVC (modelo mais popular) a partir de R$ 300. Porém, esse preço pode ser bastante elevado caso se mude o material ou a estrutura. “Se quiser alumínio, o morador irá pagar mais”.

O preço pode sofrer mais um acréscimo se o morador optar por toldos e coberturas retráteis, com estrutura que pode ser recolhida. “Esses modelos já são bastante comuns e custam cerca de 25% a mais do que um fixo. Caso escolha um toldo automatizado o preço será 50% mais alto”, aponta.

Tipos

Conheça algumas características dos principais materiais para toldos e coberturas disponíveis no mercado:

Policarbonato: é um dos materiais mais procurados. É ideal para áreas que exigem resistência contra ventos e chuvas fortes, como garagens. Permite algumas possibilidades de cores, entre elas o azul, o bronze e o transparente. A desvantagem é que não é eficiente contra o calor. Dura, em média, mais de 10 anos.

Materiais sintéticos: são as opções mais resistentes de toldos com tecidos. Entre os materiais sintéticos, as lonas de PVC são as mais comuns. São bons para algumas coberturas de garagens, pois têm certa resistência à força de ventos e chuvas moderados. São impermeáveis, o que as tornam eficientes na proteção de portas e janelas. Sua desvantagem é que absorvem calor.

Tecidos acrílicos: são mais parecidos com tecidos comuns. Por serem leves, são mais bonitos visualmente. Absorvem menos calor e deixam passar mais luminosidade do que as lonas de PVC. Porém, não são indicados para a proteção contra chuva, porque não são impermeáveis. A solução, portanto, é instalá-los de forma que possam ser retraídos em caso de chuva.

Tecido Termoscreen: ideal para áreas com grande incidência solar, é um tecido com microfuros, que permitem a ventilação do ambiente coberto. Não é resistente às chuvas. É indicado para estruturas retráteis. Recomendado para áreas como bordas de piscinas. Permite várias combinações de cores.

* * * * * * *

Fontes: arquiteta Lúcia Guerra; Fábio Silva; Leandro Felizari; Nicole Penteado e Paolo Cortesini. Gazeta do Povo

Comentários estão fechados.